De sorrisos e desejos





















Inicio de campanha, toda dificuldade de quem é pego de surpresa, ou de quem estava no lugar errado, na hora errada e com as pessoas erradas, assumindo compromissos errados.
Para surpresa de quem não tinha projetado esta situação, almejado esta luta, existe um campo de ação interessante, a interlocução, a razão de termos dois ouvidos e apenas uma boca.
São varias áreas que tenho identificado a necessidade desta interlocução, vários movimentos sociais carentes de serem ouvidos, vários segmentos sociais procurando espaço para debater suas necessidades, suas ideias e seus sonhos.
A face que procuramos implementar em nossas apresentações, seja em pequenos ou em grandes grupos, ou até mesmo na comunicação de massa, precisa identificar o que procuramos fazer representar para a sociedade.
A foto que quero expor precisa identificar-se com a responsabilidade e o compromisso que procuramos assumir.
O sorriso escasso em um rosto, não significa falta de alegria ou entusiasmo pelo desafio que pretendemos enfrentar, significa a necessária interação entre o desafio e o sonho de poder ser um precursor de mudanças que precisam acontecer e fazer acordar este vulcão que está adormecido no coração de cada maringaense.
O sorriso fácil de uma prática retrograda, com ranços impregnados no desejo de alcançar o poder a qualquer custo, preço e combinações antigas, precede a certeza de que tudo permanecerá como dantes Abrantes.
Não sou usuário de Kolynos, mesmo que no passado o seu excesso de uso tenha provocado rombos irrecuperáveis nas bocas dos brasileiros, que mesmo assim nunca tiveram problemas em esboça-los, e uma vez esboçados, nos identificamos com toda a herança e realidade do Jeca Tatu, do imortal Monteiro Lobato.
Brasileiramente falando, estamos falados.
Fui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Família Cota, Cotta, sua origem

José Antônio do Nascimento - Sem Peixe

José Antônio do Nascimento o "Patriota"